Um soneto do Juvenal Antunes

Ontem, no capítulo de O Clone (Vale a pena ver de novo), o Lobato ( Osmar Prado ) recitou trecho de um soneto do Juvenal Antunes, e muita gente escreveu, curiosa pelo soneto inteiro.

O Juvenal Antunes foi para o Acre, nas primeiras décadas do século passado, como promotor de Justiça, mas era mesmo um boêmio inveterado. Não se enganem com a foto: o terno nunca foi seu uniforme: passava os dias metido num robe, na porta do hotel Madrid, onde vivia em Rio Branco, bebendo, fazendo versos e proclamando seu amor à Laura, mulher casada que lhe inspirou os mais belos sonetos. Arredar o pé dali? nem pra receber o ordenado, que lhe chegava por exercícios findos!

Armando Nogueira chegou a conhecê-lo, ainda menino. À caminho do grupo escolar, costumava parar na frente do hotel Madrid para ouvir o poeta, e conta que foi assim que se apaixonou pelas palavras, pela arte da escrita.

Aí vai o soneto:

Vai-te. Toda paixão na nossa idade
E creio até que em idade mais madura
Por mais que dure não será tão dura
Que resista do tempo a tempestade

Recuperemos, pois, a liberdade!
Bendito o mal, e mais bendita a cura
Adeus, forma gentil de uma alma pura
Sonho que se desfez em realidade

Queres arcar com as leis do fatalismo
Toca decerto as raias do heroismo,
A persistência com que tudo arrostas

Eu, no entanto, confesso-me vencido:
-não posso assim viver, de horror transido
Com um cadaver de amor pregado às costas

7 Responses to Um soneto do Juvenal Antunes

  1. Fabiano Figueiredo maio 7, 2011 at 7:59 am #

    Belo soneto. Grandes literatos como Juvenal Antunes devem mesmo ser conhecidos e apreciados.

  2. Joao Batista Santos maio 8, 2011 at 7:17 pm #

    Oi, Gloria!

    Confeso que não conheço a obra e nunca tinha lido nada, refernte a Juvenal Antunes.
    Fiquei curioso e gostaria de saber se depois desse soneto, ele parou de cortejar a sua musa, Laura. Nos versos ele parece cansado de correr atrás dela. Sei lá!… Acho que esses poetas se alimentam da própria dor.

    O soneto de Juvenal Antunes, fez lembrar daquela música do Chico Buarque e Tom Jobim, Retrato em Preto e Branco:

    …”Lá vou eu de novo como um tolo,
    Procurar o desconsolo,
    Que cansei de conhecer
    Novos dias tristes, noites claras,
    Versos, cartas, minha cara
    Ainda volto a lhe escrever”…

    BjOs

  3. admin maio 9, 2011 at 12:57 am #

    Nada! depois desse veio em seguida:

    Não sou como esses triviais amantes
    Que notam faltas na mulher amada
    ;Es para mim tão pura e dedicada
    Como as que são mais castas e constantes

    Quanto mais juras, quanto mais garantes
    Mentindo sempre à jura formulada
    A minha alma a teus pés ajoelhada
    Julha um bem, todo o mal com que a quebrantes

    Por ti faria acerbos sacrifícios
    Acho adoráveis todos os teus vícios
    E Justíssima a tua iniquidade

    Faze de mim, se queres, um bandido
    Por teu amor é gloria haver perdido
    Honra, brio, fortuna e probidade!

  4. Joao Batista Santos maio 10, 2011 at 10:08 am #

    Valeu, admin!!… O poeta estava disposto a qualquer sacrifício para conquistar o seu amor.
    Gostei de ter sido apresentado a Juvenal Antunes. Ele é ótimo!!… Não sei se a vida imita a arte ou se a arte imita a vida… Esse poema deve ter inspirado o filme, Anjo Azul, de Marlene Dietrich.

    Abração!!!

  5. Kalinna Liedges maio 14, 2011 at 4:41 pm #

    Olá Glória,

    Boa Noite! Tudo bem?

    Por gentileza, primeiramente, realmente este soneto de Juvenal Antunes é maravilhoso … Acompanho a reprise da novela na TV e tbém pela internet, onde assisto os capítulos que estão bem à frente do que na TV, e agora msmo acabei de assistir o capítulo 126, que ele recita Fernando Pessoa … Infelizmente ñ consegui assistir o capítulo 127 (que é o capítulo que Jade encontra Lucas no shopping e fogem pela garagem) porque a internet informa que este capítulo foi removido devido a infrações … Gostaria de entender isso … Q tipo de infração fez somente 1 (um) capítulo sair da internet?

    Bem … estou há muito tempo tentando falar c/ vc … Já encaminhei cartas, emails, telegramas, e até hoje não consegui … Se possível, gostaria de um email de contato.

    Aguardo uma resposta, com a brevidade possível.

    Desde já agradeço sua atenção.

    Um ótimo final de semana!

    Obrigada

    Kalinna Liedges
    email: kalinnaliedges@hotmail.com

  6. Joao Batista Santos julho 9, 2011 at 2:22 pm #

    Sou um dos que usam e abusam do clichê: “O povo tem a memória curta”… Será?…
    Não conhecia o Juvenal Antunes, mas sempre gostei desses poetass passionais… No Brasil ele seria a minha única referencia, se caso as mnhas pesquisas no google, dessem resultados positivos. Infelizmente achei pouquissímo material.
    É!… Acho que vou continuar tendo a memória curta, afinal moro no Brasil, né? Bjos

  7. LUCIA HELENA PEREIRA maio 31, 2016 at 4:11 pm #

    ESSA FOTO DE TIO JUVENAL SENTADO JUNTO A UMA MESINHA, ERA INÉDITA, SÓ EU TINHA E MANDEI PARA GLÓRIA PEREZ COM MUITA MATÉRIA E OUTROS SONETOS INÉDITOS A MIM CONFIADOS APÓS O FALECIMENTO DE VOVÓ MADALENA, IRMÃ E CONFIDENTE DE TIO JUVENAL

Deixe uma resposta

Powered by WordPress. Designed by Woo Themes